Segunda-feira, 29 de Novembro de 2010

Sei que não sou a única, mas este ano ainda nenhuma prenda foi comprada e não, não sou a típica portuguesa que deixa tudo para último, bem pelo contrário. Mas este ano, o espirito natalicio não me invadiu.

O Natal culmina com o fim de 2010 e este foi um ano que deixou marcas e infelizmente, foram quase todas péssimas e dolorosas. E tal como escreveu Edna Ferber, "Natal não é uma estação mas um sentimento", este ano não sinto o Natal como anteriormente. Não é de todo a minha festa predilecta mas as cores, melodias, a beleza das decorações, a àrvore imponente (a nossa é enormeeee), a compra das prendas para as pessoas, as ruas enfeitadas, sempre me conquistou. O auge para mim sempre foi decorar a àrvore de Natal e a mesa da Ceia: sempre diferente, com pormenores unicos. As prendas também gosto claro, mas mais das que ofereço...adoro presentear os outros. Para mim ofertar é maravilhoso e não apenas pela prenda em si mas por tudo o que a envolve: pensar no que comprar, imaginar na pessoa, os seus gostos e feitios... Nem que por qualquer motivo se troque a prenda. O importante para mim, é todo a sua idealização porque o tempo que demoramos a pensar - decidir -comprar, nunca é desperdiçado, mas sim aproveitado a recordar a pessoa e isso é energia de carinho, compreensão e amor. Talvez por tudo isto, que ninguém compreende, nunca gostei muito de receber dinheiro ou que  pedissem a outros que comprassem prendas para mim. Sempre achei que ou eram/são preguiçosas ou então afinal não tenho importancia nenhuma para aquela pessoa para que não possa dispensar uns minutos em sair à rua e comprar ou então oferecer algo feito por si próprio.

Para mim Natal é amor e familia, se não podemos/queremos ter trabalho a colocar um pouco desse amor/carinho na elaboração ou compra de uma lembrança para alguém, então prefiro que nada me oferecam. Tudo o que seja a despachar é descartável e se assim me acham, então prefiro nada do que algo oco emocionalmente.

Adoro quando apreciam o embrulho, que quando ofereço algo feito por mim fiquem contentes não pelo que é mas pelo gesto... esta sociedade está tão carente de gestos de ternura!

O melhor dos elogios para mim é "oh, não era preciso teres trabalho". Claro que era! Se gosto de ti e ti e ti e ti, fazer algo por mim, correr lojas à procura do presente perfeito, não é trabalho é um gosto, um prazer e quando se corre por gosto não se cansa, ama-se!

 

O Natal, para mim, é amor,  familia e sentimento... talvez pela familia que não cresceu, este ano não sinto e não quero sequer fazer a àrvore de Natal.


sinto-me anti-natalicia

publicado por soprosdemar às 13:52 | link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De tresgues a 21 de Dezembro de 2010 às 16:17
E ainda bem que árvore de Natal sempre foi feita.
E um novo ano vai, em breve, começar!

Um Feliz e... descansadinho Natal!
(Este ano são assim os meus votos...)
E que o próximo ano seja a concretização dos principais desejos/sonhos!
(Acho que fui realista e não pedi demais...)
Abraços natalícios e essas coisas.





Comentar post

Escuto
EU
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Novos trapos

Compostela no Feminino II

Compostela no Feminino I

Gosto :)

Apenas...

Dia perfeito

Hoje

È oficial!

Plenitude

Saudades...

E mais nada!

Cesto roupa suja

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

todas as tags

Outros estendais
Escuto
Visitas
blogs SAPO
subscrever feeds