Terça-feira, 1 de Março de 2011

E pouco há a dizer porque está muito bem explicado aqui.

 

De facto, desde pequena que nunca percebi bem porque é que quem ganhava muito bem (note-se que a mioria dos funcionários públicos sempre auferiram ordenados acima da média) tinha ainda direito a óptimos descontos na Saúde se tinham rendimentos mais que suficientes para irem ao privado. Há quem argumente que descontavam mais para isso...e? Se mesmo com esse "maior desconto" os salários eram e são bem superiores aos da restante população, então não necessitam de ajudas. Estas deveriam reverter para quem de facto necessita.

Para os que refutam que tem de existir liberdade de escolha: ela existe - ou vão ao público ou ao privado!Simplesmente simples :)


tags:

publicado por soprosdemar às 11:40 | link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De Fernanda a 2 de Março de 2011 às 15:14
Se o fim da ADSE acontecer a motivação é unicamente economicista, o Governo está-se borrifando para a justiça, e Saúde igual para todos os portugueses.

Só quero ver como vão os hospitais públicos e centros de saúde "absorver" estes milhões de pacientes ( ex-ADSE) estando já muito acima das suas capacidades de atendimento. Nos corredores já não dá para colocar mais ninguém...só se for nos jardins e parques de estacionamento dos hospitais!

O que eu acho é que o sistema de saúde a que eu tenho direito - ADSE- ( que me dá um grande conforto quando recorro aos serviços médicos e hospitalares), deveria ser um direito de todos os portugueses. Assim é que deveríamos todos ser tratados. E não estou a falar de luxo, estou a referir-me a sermos tratados com rapidez, com dignidade e simpatia.
Ah, claro, isso, para quem é obrigado a ir ao hospital público, é não só um luxo, como um sonho longínquo!

O que temos é isto...um pesadelo.



De soprosdemar a 2 de Março de 2011 às 15:22
O SNS já é o maior fornecedor da ADSE por larga margem, mas nem isso importa. A procura no SNS pode sempre ser racionada – o impacto seria nulo. Os actuais utentes do SNS nem sentiriam o impacto; os actuais beneficiários da ADSE, sim. Mais, e falo por experiencia nisso, a ADSE nem paga aos seus prestadores de serviços, o que é vergonhoso. Na vida, as coisas não podem ser gratuitas porque todos precisamos de viver, poderia sim existir um conjuntos de trocas: tu tens isto que eu preciso e eu aquilo que precisas.Mas como não é assim, há que existir diferenças: quem tem muito rendimento paga 100%, quem tem muito menos ou nenhum, deverá ter os devidos ajustes. A educação e saude não podem ser uma oferta.



De Fernanda a 2 de Março de 2011 às 15:39
Como poderia o impacto ser nulo?! De jeito algum!
Todos sentiríamos o impacto.
Se a ADSE não paga aos prestadores de serviços isso já é outro assunto, porque os utentes descontam mensalmente.

Onde é grátis a Educação e a Saúde? Não em Portugal! Todos descontamos para beneficiar desses serviços.


Comentar post

Escuto
EU
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Novos trapos

Compostela no Feminino II

Compostela no Feminino I

Gosto :)

Apenas...

Dia perfeito

Hoje

È oficial!

Plenitude

Saudades...

E mais nada!

Cesto roupa suja

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

todas as tags

Outros estendais
Escuto
Visitas
blogs SAPO
subscrever feeds